1 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

1 de Maio

A Compaixão de Deus está em toda a sua experiência, quer creia ou não.

Quando sinto que Deus, na Sua Bondade infinita, me perdoou, consigo pensar num outro aspeto de Deus, na Compaixão de Deus. Ele perdoou-me, e agora eu preciso da Sua Compaixão. Eu preciso da Sua Compaixão porque sou fraco, ignorante e um fracasso em todos os aspetos. Eu desejo ardentemente fazer algo, alcançar algo, tornar-me algo mas, não tenho a capacidade para fazer o que quero ou tornar-me naquilo que desejo. Portanto, preciso desesperadamente da Compaixão de Deus. Sem a Compaixão de Deus, eu não serei capaz de realizar qualquer coisa e nem tornar-me algo.


Não dependa da
Apreciação terrena.
Dependa apenas do
Sorriso-Compaixão de Deus.


Reflexão “1 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

29 de Abril – Sri Chinmoy, Reflexões

29 de Abril

A ação pode ser executada sem se pedir a Sabedoria de Deus, mas, se Lhe pedirmos para nos guiar e depois agirmos, então, a responsabilidade será de Deus.

Para começar a minha jornada espiritual, eu preciso de Deus – o Perdão. Primeiro eu tenho de esvaziar-me da minha existência não divina. Todos os pensamentos e feitos não divinos que estão dentro de mim, tudo o que não é aspiração e inspiração dentro de mim, tudo isso tenho de descartar. E, para tanto, preciso do Perdão de Deus. Eu cometi erros do tamanho do Himalaia inúmeras vezes. Se Deus não me perdoar pelas coisas não-divinas que fiz ao longo dos anos, como poderei caminhar ao longo da senda espiritual, o caminho soliluminado? Somente, se Deus me perdoar poderei entrar de todo o coração na vida espiritual. Assim, para começar, eu preciso do Perdão de Deus.

Meu Senhor Amado Supremo,
Eu sou o meu deserto-desejo.
Não pode ser o Seu Rio-Perdão?


Reflexão “29 de Abril”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.