Poema de 05 de Julho – Sri Chinmoy, Reflexões

05 de Julho

Sabe o segredo do meu sucesso espiritual? Eu liberteime do passado; vivo em constante e infinita novidade na vida.

Como podemos tornar-nos Deus? Devemos estar prontos todos os dias para mudar, não permanecendo prisioneiros do passado. Quando o dia de hoje termina, devemos sentir que ele é passado e que não será de nenhuma ajuda para que nos tornemos o Supremo Altíssimo. Não importa quão doce, amoroso ou preenchedor foi o passado, ele não pode dar-nos nada que já não tenhamos. Caminhamos em frente em direção à meta, e portanto, não importa quão satisfatório o passado foi, devemos sentir que ele é apenas uma prisão. A semente cresce numa plantinha e depois torna-se uma imensa árvore. Se a pequena planta mantém a consciência de semente, não haverá manifestação. É claro, devemos ser gratos à semente, porque nos habilitou a tornarmo-nos uma planta. Mas, não dedicaremos muita atenção ao estágio de semente. Uma vez que nos tornemos uma planta, que o nosso objetivo seja tornarmos uma árvore. Procuremos olhar sempre em frente, em direção à meta. Somente, quando nos tornarmos uma grande árvore é que a nossa completa satisfação despertará.

Deixe o passado dormir e não permita à frustração
Comandar a sua mente. O sol-satisfação do amanhã
Será todo seu. Apenas comece a ver a elevação
Da sua maré-coração-entrega.


Reflexão, poema de “05 de Julho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 13 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

13 de Junho

A paciência não é algo passivo. Pelo contrário, é algo dinâmico.

Como podemos desenvolver a paciência? Devemos sentir que embarcamos numa jornada espiritual, numa jornada interior, a qual tem uma Meta e que essa Meta nos quer e precisa de nós, tanto quanto nós a queremos e precisamos dela. Ela está pronta para nos aceitar, para nos dar o que possui
mas, fá-lo-á à sua própria maneira e na Hora escolhida por Deus. Saibamos que Deus nos dará a Sua riqueza no tempo certo. A paciência nunca nos dirá que tal é uma tarefa sem esperanças. A paciência, apenas, dirá que ainda não estamos prontos ou que a hora ainda não chegou.

Aquele que deseja ser
Um Deus-amante e um Deus-servidor
Nunca ficará satisfeito
Com uma reserva limitada de paciência.


Reflexão, poema de “13 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 25 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

25 de Maio

Espere pelo amanhã para pensar nos pensamentos de amanhã.

Do ponto de vista espiritual, cada pensamento possui um valor especial na sua mente. Cada pensamento tem um significado especial. Na nossa vida comum, nós todos sabemos o que o pensamento é. Nós criamos o pensamento, acalentamos o pensamento. Não há ninguém que não saiba como pensar – isto é, o pensar comum, por assim dizer. Mas, se alguém, que
tem uma mente desenvolvida pára de pensar, se aprende a arte de parar a mente, essa pessoa faz um tremendo progresso na vida espiritual. Quando um pensamento entra na mente aspirante, é como encontrar um inimigo no campo de batalha. Quanto mais se consegue silenciar a mente, mais rapidamente a Meta é realizada.

Deus ama-o
Quando vê o seu coração
Inundado de silêncio.
Deus ama-o
Quando vê a sua mente
Vazia do seu conteúdo usual:
A floresta-confusão.


Reflexão, poema de “25 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 21 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

21 de Maio

Para ver o Além, o que é absolutamente necessário é a nossa certeza – fé implícita em nós mesmos. Temos de sentir que somos a criança escolhida de Deus.

Para realizarmos a Meta no nosso profundo interior, temos de diariamente renovar a nossa vida e trazer-lhe frescor. Todos os dias, cedo pela manhã, temos de revitalizar a nossa vida exterior com dourada esperança. Essa esperança não é um sonho vazio; ela é o precursor da divindade que se manifestará em e através da nossa natureza exterior. É a nossa qualidade divina dinâmica, a nossa esperança dourada, que vê o Além, mesmo, quando este ainda é uma meta longínqua.

Ó coração, meu coração,
Eu tenho apenas uma prece.
Torne-se o estandarte da esperança
Na minha vida.


Reflexão, poema de “21 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 19 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

19 de Maio

A nossa Meta está no nosso interior. Para alcançá-la temos de tomar a vida espiritual.

Na vida espiritual, a maior necessidade é a consciência ou a perceção. Sem ela, tudo é um deserto árido. Quando entramos num lugar escuro, levamos uma lanterna ou alguma outra fonte de luz, de modo a saber onde estamos indo. Se desejamos conhecer a nossa vida não-iluminada, temos de procurar a ajuda da consciência. Sabemos que o sol ilumina o mundo. Mas, como nos veio tal percepção? Ficamos cientes através da nossa consciência, que é auto-reveladora. O funcionamento do sol não é auto-revelador. É a nossa consciência do sol, que nos faz sentir que ele ilumina o mundo. É a nossa consciência que em tudo se revela. E essa consciência é um infinito mar de deleite.

Seja corajoso
No que diz respeito ao seu coração.
Seja sincero
No que diz respeito à sua mente.
Verá como é fácil
Viver a sua vida
Numa consciência, supremamente, melhor.


Reflexão, poema de “19 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.