Poema de 26 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

26 de Junho

O mundo está coberto de dificuldades. De certa maneira, está cheio de espinhos. Todavia, usando um calçado, poderá caminhar sobre os espinhos. E de que é feito esse calçado? É feito da Graça de Deus.

Não deveríamos, e não precisamos nunca, preocupar-nos com o nosso futuro. Por via da entrega, uma pessoa espiritual torna-se, inseparavelmente, una com a Vontade cósmica de Deus. No presente momento, não nos entregamos à Vontade de Deus e esse é o porquê de sofrermos. Sentimos assim: se não fizermos algo por nós mesmos, então quem o fará? Todavia, essa não é a verdade. Existe alguém que fará tudo por nós e esse alguém é o nosso Piloto Interior. E o que é esperado de nós? Apenas, entrega a Sua consciente Vontade. Ele atuará em e através de nós, apenas, quando nos tornarmos Seus instrumentos conscientes. Quando sentirmos que nós somos os instrumentos e que Ele é o Agente, não nos preocuparemos com o nosso futuro e nem o temeremos, porque saberemos e sentiremos que ele está nas Mãos tudo-amorosas de Deus, as quais farão tudo, em nós, através de nós e por nós.

Não diga
Que sozinho pode fazê-lo.
Diga que Deus o faz em e através de si.
Ora, eis que tudo está feito.


Reflexão, poema de “26 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 2 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

2 de Junho

Tanto sofremos tentando fazer desaparecer um problema; Deus ri de nós. Mas, logo aceitamos a dificuldade como inevitável, por Ele ordenada, ela lentamente se desfaz, até que chega um dia em que ficamos a pensar onde foi que ela desapareceu.

Se soubermos como olhar para um problema, metade da força do problema desaparece. Todavia, normalmente, procuramos evitar o problema, tentamos fugir dele. Um problema não é uma indicação de qualquer engano ou crime nosso. Então, por que deveríamos ter medo de encará-lo? Saibamos que também há forças ruins, não-divinas e hostis à nossa volta. Culpando-nos a nós mesmos e tentando-nos esconder, não resolveremos o problema. Devemos encará-lo e ver se, realmente, somos culpados. Temos de sentir que somos não os causadores do problema, mas sim os solucionadores. Devemos praticar a vida espiritual e desenvolver força interior, aspiração e desapego interior. Lenta e gradualmente nos tornaremos fortes interiormente e seremos capazes de resolver os problemas causados pelas nossas próprias fraquezas interiores.

A escuridão dentro de si
Morrerá,
Apenas, quando a devoção no seu interior
Invocar iluminação das alturas.


Reflexão, poema de “2 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.