Poema de 18 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

18 de Junho

Cultive pureza no seu coração. Logo será capaz de redescobrir o Reino dos Céus.

A luz interior é pureza. A vida exterior é ignorância. A luz interior deseja conquistar a ignorância exterior. Da mesma forma, a ignorância exterior deseja conquistar e devorar a luz interior. A luz interior quer conquistar a ignorância exterior com a intenção de transformá-la. Quando a ignorância exterior é transformada, torna-se um guerreiro divino, lutando para estabelecer o Reino dos Céus aqui na Terra.

Se é um verdadeiro Deus-amante,
Então, logo verá
Que Deus criou tudo
Para o seu coração puro
E não para os seus olhos críticos.


Reflexão, poema de “18 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 13 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

13 de Junho

A paciência não é algo passivo. Pelo contrário, é algo dinâmico.

Como podemos desenvolver a paciência? Devemos sentir que embarcamos numa jornada espiritual, numa jornada interior, a qual tem uma Meta e que essa Meta nos quer e precisa de nós, tanto quanto nós a queremos e precisamos dela. Ela está pronta para nos aceitar, para nos dar o que possui
mas, fá-lo-á à sua própria maneira e na Hora escolhida por Deus. Saibamos que Deus nos dará a Sua riqueza no tempo certo. A paciência nunca nos dirá que tal é uma tarefa sem esperanças. A paciência, apenas, dirá que ainda não estamos prontos ou que a hora ainda não chegou.

Aquele que deseja ser
Um Deus-amante e um Deus-servidor
Nunca ficará satisfeito
Com uma reserva limitada de paciência.


Reflexão, poema de “13 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 31 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

31 de Maio

O homem pode ser feliz e seguro, apenas, quando o coração sente mais rápido do que a mente pensa.

Cada problema é uma força. Ao vê-lo, sentimos no nosso interior profundo uma força maior. E, quando encaramos o problema provamos-lhe que, não apenas temos a maior força mas, que somos a maior força sobre a Terra. Um problema aumenta quando o coração hesita e a mente calcula. Um problema diminui quando o coração enfrenta o problema e a mente apoia o coração. Um problema reduz-se quando a mente usa a sua luz-busca e o coração usa a sua luz-iluminação.

Quando oposições exteriores
Se colocarem diante de si,
Apenas, diga a si mesmo:
“Se eu puder meditar
A despeito dessa dificuldade,
Tornar-me-ei
Um melhor e mais forte Deus-buscador
E Deus-amante.”


Reflexão, poema de “31 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.