Poema de 23 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

23 de Junho

Ama a sua vida interior. Isso significa que Deus tem um cuidado muito especial por si.

Constantemente, submete a sua vontade a coisas terrenas – ao barulho, aos sinais de trânsito, ao governo. Sente que, não se entregando a essas coisas, estará completamente perdido, ao passo que, ao render-se-lhes, ao menos, poderá continuar na Terra. Se deseja uma vida de aspiração, precisa de ter essa mesma espécie de sentimento em relação às coisas espirituais. Precisa sentir que se não orar, se não meditar, estará totalmente perdido; se não chorar, se não se entregar à mais elevada divindade, então, a sua existência será vazia e nem precisará de continuar na Terra. Sinta que sem orientação
interior estará, completamente, perdido e desamparado. Essa orientação interior vem, apenas, quando realmente deseja entregar a sua ignorância à luz que há no seu interior.

O meu caminho não é
Seguir o mundo.
O meu caminho não é
Liderar o mundo.
O meu caminho é
Andar junto de Deus.


Reflexão, poema de “23 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

Poema de 8 de Junho – Sri Chinmoy, Reflexões

8 de Junho

A meditação é a expansão da consciência. A meditação que faz alguém sentir que, juntamente, consigo alguém mais se beneficiará dela, é a meditação, absolutamente, perfeita.

Nós que começamos a trilhar o caminho espiritual somos os precursores. Todos, por fim, correrão em direção à mesma Meta transcendental. A grande maioria da humanidade não ficará sempre para trás. Todos os filhos de Deus, não importando quão inconscientes e não-aspirantes sejam, algum
dia correrão em direção à Meta que nos é comum. Essa Meta é a suprema descoberta da própria divindade e a constante e perfeita manifestação da própria eterna realidade.

Está a tentar libertar o mundo.
Mas, antes que possa fazer isso,
Deve elevar
O seu próprio nível espiritual
Ao alto, muito alto.


Reflexão, poema de “8 de Junho”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.

2 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

2 de Maio

O auxílio humano é impotente. Portanto, procure por ajuda nas Alturas.

Depois de receber o Perdão e a Compaixão de Deus, eu preciso das benção de Deus. Preciso que Deus faça descer sobre mim as Suas infinitas Bençãos, para que eu seja bem sucedido no campo de batalha da vida. A vida é uma constante batalha e, se eu quiser ser bem sucedido, terei de depender inteiramente das Bençãos de Deus. Poderei ser bem sucedido na vida e prosseguir no caminho espiritual, apenas, se Deus abençoar a minha cabeça devotada e meu o coração entregue.


Com a Graça de Deus
Nós começamos.
Com o Encorajamento de Deus
Nós continuamos.


Reflexão “2 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.