3 de Maio – Sri Chinmoy, Reflexões

3 de Maio

Quer aceite ou rejeite, o Amor de Deus por si é permanente.

Depois que Deus me perdoou, concedeu-me a Sua Compaixão e banhou-me com as Suas Bençãos, tenho de sentir em cada momento o Amor de Deus. Devo sentir que, Aquele que me perdoou, mostrou-me a Sua Compaixão e abençoou-me realmente. Importa-se comigo. Serei constante e verdadeiramente feliz, apenas, se sentir que Deus, realmente, me ama. O Criador é todo amor para a Sua criação, mas a criação, frequentemente, não sente isso ou não o percebe. Sendo eu parte da criação de Deus, é meu dever sentir o Amor de Deus a cada momento. Apenas, tentarei tornar-me bom, divino e perfeito e agradá-Lo à Sua própria maneira.

A melhor atitude de um Deus-amante:
Deus cuidou de mim,
Deus cuida de mim
E Deus sempre cuidará de mim.


Reflexão “3 de Maio”, retirada do livro de Sri Chinmoy: A Jornada-Alma da Minha Vida.