Dag Hammarskjöld e seus haikus sobre seu celibato

Negada qualquer fuga,

O calor transmutou

Carvão em diamante

-Dag Hammarskjöld

 

Dag Hammarskjöld foi o segundo Secretário-Geral da ONU e um celibatário convicto. Abaixo, alguns dos seus poemas em formato de haiku descrevendo a sua experiência. O haiku final, em particular, mostra a recompensa translúcida.

 

Incapaz de ser cegado pelo desejo,

Sentindo que não tenho direito de invadir os outros,

Temendo expor minha própria nudez,

Exigindo completo consentimento como uma condição para a vida juntos:

Como poderia ter ocorrido de forma diferente?

 

 

Porque nunca teve cônjuge,

Os homens chamaram

O unicórnio de pervertido.

 

(a lenda grega e indiana do unicórnio diz que nunca teve companheiro)

 

Negada qualquer fuga,

O calor transmutou

Carvão em diamante

Citações de Dag Hammarskjold

 

Não olhe para trás, e não sonhe com o futuro. O seu dever, a sua recompensa, o seu destino, estão aqui e agora.

 

 

Deste-me Tu esta solidão inescapável, de forma que me seja mais fácil dar tudo a Ti?

 

 

Deus deseja a nossa independência, a qual podemos alcançar quando, deixando de lutar por ela nós mesmos, ‘retornamos’ a Deus.

 

 

Alguém colocou o tear nas suas mãos. Alguém que já havia preparado os fios.

 

 

O que peço é impraticável – que a minha vida tenha significado. O que procuro é impossível – que a minha vida adquira um significado.

 

 

Esse capítudo encontra-se encerrado.

Nada me prende.

Beleza, bondade,

Nas maravilhas aqui e agora

Tornam-se subitamente reais.

-Dag Hammarskjold

 

Seleções de “Tributo a Dag Hammarskjold” com passagens do livro “Markings”, oferecido na sede da ONU em Nova Iorque por Sri Chinmoy, traduzidas ao português.

Incondicional -Patanga

De novo, Ele não me deixa dormir,

Fazendo me sentar aos pés da cama

Para escrever antes que vire névoa:

Eu nem tenho sido grato, nem nada;

Não tenho feito tantas coisas para Ele;

Mas Ele faz tanto por mim, tantas coisas

Que me fazem sentir amado, e até por isso

Mais ingrato; mas não, Ele não deixa;

Ele me faz sentir amado

Mesmo que eu não O ame;

E incondicional; sinto que é como

Se meu coração fosse conquistado,

E Ele me faz ficar acordado

Com alegria e também receio

De que esse ser amado um dia

Acabe.

Mas não; sei que só aumentará.

 

Once more He lets me sleep not,

Making me sit at the bedside

And write before it turns to mist:

I haven´t been grateful or anything;

Haven´t done much or anything for Him;

But He does so much for me, so many things

That make me feel loved, and for that even

More ungrateful; but no, He won´t let me;

He makes me feel loved

Even if I don´t love Him;

It is unconditional; it feels like

My heart is snatched away

By His disarming love,

And He makes me stay awake

With joy and worry too

That this being loved would one day

End.

But no.

 

-Patanga Cordeiro

PEDRAS E FLORES -Augusto Branco

As pessoas são muito reativas: costumam retribuir exatamente aquilo que recebem. Retribuem o bem com o bem, e o mal com o mal. Mas tu, para seres imensamente feliz, procederás diferente:

Retribua com flores a todas as pedras que te atirarem.

Haverá um momento em que as pedras de teus inimigos acabarão, e assim eles só poderão atirar em você as próprias flores que receberam de ti.

-Augusto Branco

Elogio ao comedimento nas ações públicas

“…eloquência em assembleias públicas não é a estrada mais certa à fama e predileção, a não ser se utilizada com grande cuidado, muito raramente e com muita reserva…. um orador público que se insere, ou é instigado por outros a conduzir assuntos, através de esforços diários a justificar suas medidas e responder às objeções dos seus oponentes torna-se por demais familiar com o público e inevitavelmente obtém inimigos…”

-John Adams, elogiando Thomas Jefferson

Trecho dos poemas de Ossian – MacPherson – Thomas Jefferson

Como dois negros córregos de altas montanhas encontram-se, fundem-se e rugem pela planície; ruidosos, turbulentos e negros, em batalha encontram-se Lochlin e Innis-fail: general cruzando golpes com general, homem com homem; aço tinindo em aço, elmos partidos ao meio; sangue jorrando e fumaça que assoma. Cordas murmuram no cedro polido. Dardos correm pelos céus. Lanças precipitam como círculos de luz que douram a tempestuosa face da noite. Como o ruído preocupado do oceano quando rolam altas as ondas; como o último repique do trovão do céu, tal é o som da batalha… pois muitos foram os heróis caídos; e longe vertido o sangue dos bravos.

-pequeno trecho dos poemas de Ossian, traduzido por MacPherson e selecionado por Thomas Jefferson como um dos melhores poetas que já existiram

O Cão do Céu (The Hound of Heaven) Por Francis Thomson (1859-1907) Tradução ao português de R. Paiva

O Cão do Céu (The Hound of Heaven)

Por Francis Thomson (1859-1907)

Tradução ao português de R. Paiva

 

D’Ele fugia, noites e dias;
D’Ele fugia pela arcada dos anos;
D’Ele fugia por becos e labirintos
De minha própria mente; e na névoa das lágrimas
D’Ele me escondia e no riso incontido.
Atrás de esperanças imaginadas corri;
E atirei-me, precipitado,
Nas sombras titânicas de abissais pavores,
Destes fortes Pés que perseguiam, perseguiam,
Em caçada sem pressa
Imperturbável passo.
Deliberada urgência, majestática instância,
Ressoando – e a Voz reiterando
Mais insistente que os Pés
“Tudo te trai, a ti que Me trais.”

Supliquei, esperto fora-da-lei,
A muitos uma janela cordial, com rubras cortinas,
Tecidos com retorcidos amores
(Pois embora eu conhecesse o Amor de Quem me seguia,
Contudo eu estava certo na dor,
Que, tendo-O, nada mais poderia ter).
Mas, se apenas uma fresta se abrisse,
O susto de Sua vinda a teria trancado:
Não sabe o medo fugir, como o Amor perseguir.
Pela margem do mundo fugi,
Turvei o dourado chão de estrelas,
Buscando refúgio em suas sonoras barras,
Aflito por doces jarras
E tremor de prata nos pálidos portos da lua.
Disse à aurora: “Acontece!” E à tarde: “Vem logo!”
Com teus jovens celestes botões afasta-me
Deste tremendo Amante!
Faze flutuar teus vagos véus sobre mim, que Ele não me veja!
A todos os Seus servidores tentei. Nada achei.
Traído fui pela constância deles.
Na fé para com Ele, nos seus caprichos comigo,
Traiçoeira veracidade, leal engano.
A tudo de mais veloz mais rapidez urgi.
Grudado à uivante crina de todos os ventos.
Mas perpassassem, mansa brisa,
As longas campinas do azul;
Ou, incitados pelo Trovão,
Atroassem seu carro para um céu
Pejado de raios voadores em volta da poeira de Seus Pés,
Não sabe o medo fugir, como sabe o Amor perseguir.
Ainda em caçada sem pressa
E imperturbável passo,
Deliberada urgência, majestática instância,
Vieram os perseguidores Pés,
E a Voz acima do som de Sua marcha:
“Nada acolha a ti, que não acolhes a Mim!”

Não mais busquei aquilo atrás do que vagava
Em faces de homem ou donzela.
Apenas ainda lá, nos olhos dos pequeninos,
Parecia haver alguma coisa, alguma coisa respondendo!
Ao menos eles eram por mim, certamente, por mim!
Voltei-me para eles, muito tristemente,
Mas, logo que seus olhos belos se abriram,
Com nascentes respostas ali,
Seu anjo arrancou-os de mim pelos cabelos:
Venham, então, outras crianças, dom natural,
“Deem-me – disse eu – sua gentil amizade!
Deixem-me saudá-los, lábios nos lábios!
Deixem-me entrelaçá-los de carícias,
Caprichosamente,
Com as ciganas tranças de nossa Mãe Senhora,
Banqueteando-me
Com ela no seu palácio de muros de vento,
Sob seu pavilhão azul,
Tragando, como seu costume sem mancha,
De um cálice
Luzente de gotas do amanhecer!”
E assim se fez:
Eu, na gentil companhia deles, fui um –
Abri os selos dos segredos da Natureza,
Conheci todos os deslizantes significados
Na teimosa face dos céus.
Conheci como as nuvens se levantam,
Espumas do selvagem respiro do mar;
Tudo o que nasce ou morre,
Ergue-se ou cai; fiz deles moldes
De meus humores, ou penosos ou divinos.
Com eles jubilei e me enlutei.
Eu me via pesado com a tarde,
Quando ela acendeu vacilantes velas,
Em redor dos mortos trabalhos do dia.
Ri nos olhos da manhã,
Triunfei e me deprimi em qualquer clima,
O céu e eu juntos choramos,
E suas doces lágrimas se salgaram com as minhas mortais;
Contra o rubro pulsar do seu coração – crepúsculo,
Deixei o meu próprio bater,
E partilhar o bem vindo calor.
Mas nem assim, nem assim, aliviou-se meu humano sofrer.
Em vão minhas lágrimas molharam as cinzas faces dos Céus
Pois ah! Não sabemos o que um ao outro diz
Essas coisas e eu; em sons eu falo –
Seus sons não são mais que ondulações: falam por silêncios.
A natureza, pobre madrasta, não pôde matar-me a sede;
Deixai, se ele quiser me possuir,
Afastar do seu peito o véu azul celeste, e mostrar-me
Os seios de sua ternura.
Nunca seu leite abençoou
Minha sedenta boca.
Perto e mais perto se mostra a caçada,
Em imperturbável passo,
Deliberada urgência, majestática instância,
E, atrás destes ruidosos Pés,
Uma Voz chegou mais veloz:
“Nada te contente a ti, que não me contentas!”

Nu, espero do Teu amor o golpe final!
Peça por peça a armadura me arrancaste
E de joelhos me puseste;
Nenhuma defesa me resta.
Dormi, creio, e acordei,
Num lento olhar me vi despido no sono.
Na dura cobiça de meus jovens poderes,
Sacudi os pilares das horas,
Puxei minha vida sobre mim; rosto manchado
Estou de pé em meio ao pó de amontoados anos –
Minha estropiada juventude jaz morta nos escombros.
Meus dias demolidos se tornaram pó,
Inflaram, rebentaram como bolhas no riacho.
Sim! Falha, agora, cada sonho
Ao sonhador e a viola, ao violeiro;
Mesmo as sólidas fantasias, logros floridos,
Onde vi toda a terra como enfeite no meu punho,
Recuam: suportes de todo fracos
Para a terra de tão pesados lutos.
Ah! Será Teu amor
Erva daninha, embora florida,
Sem tolerar outros botões que não os seus?
Ah! Tens,
Infinito Inventor
Ah! Tens Tu de queimar a lenha antes de iluminar?
Meu frescor se foi, regando a poeira,
E, agora, meu coração é fonte exaurida,
Onde lágrimas estancadas se desintegram para sempre
Desde úmidos pensamentos que tremem
Sob os gementes ramos de minha mente.
Assim é. O que é para ser?
Se a polpa é tão amarga, como será a casca?
Zonzo, vislumbro que o tempo nas brumas se funde,
Mas, sempre de novo, a trompa ressoa,
Nos ocultos baluartes da Eternidade.
Destas névoas sacudidas, um espaço incerto se abre, então
Em redor das mal vislumbradas torres lavadas de novo.

Mas não será ele, o que convoca,
Quem antes eu vira, ileso,
Com brilhantes vestes púrpura, coroado de cipreste;
Seu nome conheço, e o que sua trompa clama.
Se o coração humano ou a vida seria o que produz
Tua ceifa, deve a sega dos Teus campos
Ser adubada com a podridão das mortes?
Agora, desta longa perseguição
Perto chega o rumor;
Esta voz me rodeia como o estrondo do mar:
“É esta a tua terra tão amada,
Partida em cacos e mais cacos?
Vê, todas as coisas fogem de ti, que foges de Mim!
Estranho, lamentável, fútil ser!
Porque qualquer coisa te daria singular amor?
Nenhuma vendo, fiz muito do nada” (Ele disse),
“E o amor humano necessita humano merecer:
Como tens tu merecido –
De todo humano coágulo de barro o mais obscuro coágulo?
Pobre, não sabes
Quão pouco digno de amor és tu?
Quem tu queres para amar-te, ignóbil ser,
Exceto Eu, somente Eu?
Tudo o que de ti tomei, tomei
Não para ferir-te,
Mas só para que tudo pudesses encontrar em meu abraço,
Tudo o que teu infantil engano
Imaginava perdido, guardei para ti em casa:
Levanta! Segura Minha mão e vem!”
Cessa, por mim, estes passos em tropel:
É minha tristeza, depois de tudo,
Sombra de Sua mão, estendida em carícia?
“Ah, tão querido, cego, fraco,
Eu sou Aquele a quem procuras!
Do amor te afastavas, tu que de Mim te afastavas”.

-Tradução


Uma segunda tradução, ainda preliminar, parcial:

 

O Guardião do Paraíso

Por Francis Thomson (1859-1907)

Tradução parcial por Patanga Cordeiro

 

Fugi Dele, noite e dia afora;

Fugi Dele, os anos vão embora;

Fugi Dele, por labirintos embora

Na mente; por entre nuvens de lágrimas

Escondi-me Dele, sob gargalhadas.

Alcei minha esperança envisionada;

Atirei-me, precipitado,

Em escuridão Titânica de temores abismais

Daqueles Pés firmes que seguiam, seguiam.

E com uma busca serena

E passo tranquilo,

Pressa deliberada, majestosa urgência,

Eles soam – e uma Voz soa

Mais rápida que os Pés–

‘Tudo trai aquele que Me trai.’

 

Supliquei como um fora-da-lei

Por entre janelas de cortinas vermelhas

Treliçadas de divindades entrelaçadas;

(Pois, ainda que conhecesse o Seu amor que seguia,

Eu todo temia,

Pois, tendo Ele, nada mais teria.)

Mas, se uma janela se abria,

A onda da Sua chegada a fecharia.

O medo não vem a fugir, como o Amor vem perseguir.

Através da margem do mundo eu fugi,

Afligindo os portais dourados das estrelas,

Batendo por abrigo suas barras tinindo;

Entrelaçadas em jarros adocicados

E argênteo ranger dos portos da lua.

 

The Epic of Ushika at the 3100-mile race

The Epic of Ushika at the 3100-mile race

This is a short or long story
About a a Hermit brave and a Rishi sweet
from Rig Veda of now or yore
Who were walking down the street.
Most precisely,
They were walking down nigh
Grand Central Parkway,
just behind Thomas Edison High.
One seemed to be running,
But that is just from a distance wide;
A savvy onlooker will quickly
Ascertain the wanning-ralking stride.
Anyway in lack of topic and alms
For usual conversation or filmscreen
They wandered surreal realms
Of rubber, skin salves and ice cream
Delving deep into the world
Of perilous mobile surfing
Credit card issuing on hold
Hopes for proper shoes vanishing
Realms of blister, and of chafe,
And of sun and concrete hard
Ever lightened by valiant Max
The Hermit’s squire and bard,
To safeguard the promise and duty
Of now, the Race of Eternity
Halfway into the darkest dungeon
Also brings the Hermit one,
The Worshipper of Dawn,
Halfway into the Light Divine
But… nowhere the end at hand!
Well, Tis´ not for one to know where
He will get, for one thus surrendered
Is rather taken somewhere, doesn´t go.
Oh, yet!,
The one chosen now strides aloft
The hope of completeness soft
The goal seemingly unattainable
Suddenly beckons the able
For what Grace one is due in ruth
Tis’ not for one to know
Grace is swift and strong, its truth
Alighting on sweated brow
By hearkening to the call
One was already destined
To the heirloom divine:
Guru´s Divine Love for all,
The very end of all in All.
—————————————-
from the book:
Tales from the Vedas: the Rishi and the Hermit
Banana-Leaf Publications 13700 B.C.

O Pavão – crônica de Rubem Braga

Eu considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores; é um luxo imperial. Mas andei lendo livros, e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. Não há pigmentos. O que há são minúsculas bolhas dágua em que a luz se fragmenta, como em um prisma. O pavão é um arco-íris de plumas.

Eu considerei que este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos. De água e luz ele faz seu esplendor; seu grande mistério é a simplicidade.

Considerei, por fim, que assim é o amor, oh! minha amada; de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira em mim existem apenas meus olhos recebendo a luz de teu olhar. Ele me cobre de glórias e me faz magnífico.

-Rubem Braga, Crônica

O leão – Vinícius de Moraes

O leão

(Inspirado em William Blake)

Leão! Leão! Leão!
Rugindo como o trovão
Deu um pulo, e era uma vez
Um cabritinho montês.

Leão! Leão! Leão!
És o rei da criação

Tua goela é uma fornalha
Teu salto, uma labareda
Tua garra, uma navalha
Cortando a presa na queda.

Leão longe, leão perto
Nas areias do deserto.
Leão alto, sobranceiro
Junto do despenhadeiro.
Leão na caça diurna
Saindo a correr da furna.
Leão! Leão! Leão!
Foi Deus que te fez ou não?

O salto do tigre é rápido
Como o raio; mas não há
Tigre no mundo que escape
Do salto que o Leão dá.
Não conheço quem defronte
O feroz rinoceronte.
Pois bem, se ele vê o Leão
Foge como um furacão.

Leão se esgueirando, à espera
Da passagem de outra fera…
Vem o tigre; como um dardo
Cai-lhe em cima o leopardo
E enquanto brigam, tranquilo
O leão fica olhando aquilo.
Quando se cansam, o leão
Mata um com cada mão.

Leão! Leão! Leão!
És o rei da criação!

Frases famosas – diversos autores

Se o que você fez ontem ainda parece grande, você não fez muito hoje.

 

­–mikhail gorbachev

 

O fruto do Silêncio é a oração.

O fruto da Oração é a fé.

O fruto da Fé é o amor.

O fruto do Amor é o serviço.

O fruto do Serviço é a paz.

 

­–mother teresa

 

Não tema o esforço e trabalho sinceros;

não tema a verdade.

 

­–pope john paul ii

 

Não ouso demorar,

Pois a minha longa caminhada

Ainda não terminou.

­–nelson mandela

 

Cada bom pensamento

Que você encorajou

E nutriu

É uma verdadeira obra de arte

da sua vida.

 

­–sri chinmoy

 

Deus ama você não porque você é adorável,

Mas você é adorável justamente porque Deus ama você.

 

­–archbishop desmond tutu

 

 

Um dia todos os homens serão amantes,

e toda calamidade se dissolverá

na luminosidade universal.

 

­–ralph waldo emerson

 

A alma é sempre bela, aparecendo mais ou menos,

vindo ou ficando para trás, ela vem do seu jardim coberto, observando-se com agrado e abraçando o mundo…

 

­–walt whitman

 

 

Os bosques são lindos, escuros e profundos,

Mas tenho promessas a guardar,

E milhas a percorrer antes do repousar,

E milhas a percorrer antes do repousar.

 

­–robert frost

 

Um homem sábio terá mais oportunidades do que encontrar.

 

­–francis bacon

 

Nenhum homem grande reclama de falta de oportunidade.

–ralph waldo emerson

 

Quem sabe mais,

duvida mais.

­–browning

 

Você não está encarregado do universo;

você está encarregado de si mesmo.

­–arnold bennett

 

Bem-aventurado aquele que encontrou a sua tarefa.

Que ele não peça outra bênção.”

 

­–thomas carlyle

 

A natureza é a arte

de Deus eterno.

­–dante alighieri

 

O Infinito um Hóspede súbito

É como foi proposto –

Mas como pode vir o estupendo

Que nunca foi embora?

 

­–emily dickinson

 

Imaginação é mais importante

que conhecimento.

 

­–albert einstein

 

As ideias devem agir através

dos cérebros e braços de homens bons e corajosos,

ou não serão mais do que sonhos.

­–ralph waldo emerson

 

Duas estradas divergiram num bosque, e eu –

Eu tomei a estrada menos viajada.

Isso fez toda a diferença.

 

­–robert frost

 

Luz – mais luz.

 

­–goethe

 

A história do mundo nada é senão

o progresso da consciência de Liberdade.”

­–hegel

 

Enxergue tudo.

Deixe passar muitas coisas.

Melhore um pouco.”

 

­–papa joão xxiii

 

Não tema a vida.

Acredite que vale a pena viver a vida,

e esse acreditar ajudará a criar o fato.

­–william james

 

Beleza é alegria, e alegria, beleza.

 

­–john keats

 

Nossas mentes não são feitas ao tamanho da verdade e nem adequadas para todas as coisas.

­–locke

 

Estar fraco é uma miséria,

Quer seja como agente ou como paciente.

 

­–john milton

 

O que é o mal?

É qualquer coisa que venha da fraqueza.

 

­–nietzsche

 

Sabedoria é da alma, insuscetível de provar, sua própria prova, aplica-se a todos os estágios e objetos e qualidades e é contente, é a certeza da realidade e imortalidade das coisas, e a excelência das coisas; algo na procissão de coisas vistas

a provoca para fora da alma.

 

­–walt whitman

 

O mundo inteiro é uma catedral.

­–boris pasternak

 

A conquista de si é a maior das vitórias.

­–platão

 

Devemos pedir a Deus apenas as dádivas

que são dignas de se Lhe pedir, ou seja, coisas tais

que ninguém nos possa conceder senão Deus.

­–porfírio

 

O anseio da mariposa pela estrela,

Da noite pela alvorada,

A devoção por algo distante

Da esfera da nossa tristeza.

 

­–shelley

 

Veja!, não dou discursos ou doação em caridade.

Quando dou, doo a mim mesmo.

 

­–walt whitman

 

Nosso nascimento é tão-somente um sonho e um esquecimento:

A Alma que ascende em nós, a Estrela da nossa vida,

Teve em outra parte o seu poente, e vem de longe:

Não em completo esquecimento, e não em completa nudez,

Mas deixando rastros de glória viemos de Deus, o nosso lar.

 

­–wordsworth

 

 

Meu Senhor, terá sido uma pena se eu apenas os entretive; eu gostaria de torná-los melhores.

­–georg frederic handel

 

Eu não gostaria de ser compreendido por todos.

­–robert schumann

 

Ergam-se como leões despertos

Em números insuperáveis;

Sacudam os grilhões à terra como orvalho

Que durante o sono pousou em vocês.

Vocês são muitos, eles são poucos.

 

­–shelley

 

O valor do homem não está naquilo que alcançou,

mas naquilo que anseia alcançar.

­–khalil gibran

 

“São todos Teus; esposa, filho e família não me pertencem. Eles são todos Teus.” Amar esses objetos, considerando-os seus, é maya (ilusão). Mas amar todas as coisas é daya (compaixão).

­–sri ramakrishna

 

 

Eu digo à Mãe Divina:

“Mãe, eu não preciso compreender.

Apenas me dê amor por Seus Pés de Lótus.”

­–sri ramakrishna

 

A oração, para ser frutífera,

deve vir do coração

e deve ser capaz de tocar o coração de Deus.

­–madre teresa

 

Meu Senhor,

Ontem Você era algo para mim.

Hoje Você se tornou tudo

Na minha vida.

­–sri chinmoy

 

 

A questão é amar Deus como a mãe ama o filho, como a esposa ama o marido, como o homem mundano ama a sua riqueza. Some essas três forças de amor, esses três poderes de atração, e dê todos eles a Deus. Então certamente você O verá.

­–sri ramakrishna

 

Eu juro, desde aquele dia e, que Você me deu uma vida nova…

Você se tornou meu Amigo, mas ainda assim não consigo dormir.

E se Você me mandar embora, eu juro, não estaremos separados,

pois no meu coração Você vive, e reina!

 

­ rabia basri al-adiwyya

 

Se chorar porque o sol saiu da sua vida,

suas lágrimas não deixarão

que enxergue as estrelas.

­–rabindranath tagore

 

 

Seja uma folha de papel com nada escrito.

Seja um lugar no chão onde nada cresce,

onde algo possa ser plantado,

uma semente, possivelmente, do Absoluto.

­–jalaludin rumi

 

 

Aja sempre como se sob o olhar do próprio Supremo e da Mãe Divina. Nada faça, nada pense, nada sinta

que seja indigno da Presença Divina.

­–sri aurobindo

Poema de morte de Dag Hammarskjold?

Escrito aproximadamente um ano antes do seu assassinato no Congo Belga, a serviço da ONU, provavelmente profético.

 

A lua presa dentre os galhos,

Preso por seu voto,

Meu coração pesava.

 

Nuas contra a noite,

As árvores dormiam. “Mas, seja feita a

Vossa Vontade e não a minha…”

 

O fardo continuava meu:

Não se podia ouvir o meu chamado

E tudo era silêncio.

 

Logo, agora, as tochas, o beijo:

Logo a aurora cinzenta

Na Sala do Julgamento.

 

O que seu amor ajudará lá?

Lá, a única questão

É se eu os amo.

 

-Dag Hammarskjold

26/11/1960

A Copa do Mundo e o significado do esporte

Por que praticamos esportes?

Para desenvolver o sentimento de companheirismo;

Para servir a humanidade.

 

Por que assistimos esportes?

Para obtermos inspiração, entusiasmo,

Alegria e coragem.

-Sri Chinmoy

 

Fonte: http://www.srichinmoylibrary.com (original) e https://poemasfrasesemensagens.com/2018/05/01/poesia-do-mes-maio/ (imagem)

 

O exercício organiza nossas ações, traz saúde ao corpo, alegria à nossa mente, e essas coisas fazem-nos preciosos aos nossos amigos.

Thomas Jefferson, autor da Declaração de Independência, 3º Presidente dos EUA

 

O esporte tem a capacidade de nos unir e mostrar o que temos em comum.

Ban Ki Moon, Secretário-Geral da ONU

 

O esporte não é apenas uma forma de entretenimento, mas também uma ferramenta para comunicar valores que promovem o bem que está nos seres humanos e construir uma sociedade mais pacífica e fraterna. … O futebol demonstra a necessidade de treinar e trabalhar duro para alcançar metas, a importância do trabalho em equipe e de jogar limpo, a necessidade de respeitar e honrar oponentes.

Papa Francisco

 

Fonte: United Nations Association of Canada

 

Citações do livro Markings, diário pessoal do segundo Secretário-Geral da ONU, Dag Hammarskjold

Citações do livro Markings, diário pessoal do segundo Secretário-Geral da ONU, Dag Hammarskjold

 

“When you have reached the point where you no longer expect a response, you will at last be able to give in such a way that the other is able to receive, and be grateful. When Love has matured and, through a dissolution of the self into light, become a radiance, then shall the Lover be liberated from dependence upon the Beloved, and the Beloved also be made perfect by being liberated from the Lover.”

 

“To have humility is to experience reality, not in relation to ourselves, but in its sacred independence. It is to see, judge, and act from the point of rest in ourselves. Then, how much disappears, and all that remains falls into place.

In the point of rest at the center of our being, we encounter a world where all things are at rest in the same way. Then a tree becomes a mystery, a cloud a revelation, each man a cosmos of whose riches we can only catch glimpses. The life of simplicity is simple, but it opens to us a book in which we never get beyond the first syllable.”

Um Hino às Nações Unidas

Um Hino às Nações Unidas

 

Alegre, ó músico,

Toque as suas cordas

Para que possamos cantar.

Elevados, suplicantes,

Nossas vozes diversas

Misturando-se,

Jovialmente disputando

Não interferindo,

Mas coexistindo,

Pois tudo dentro

Do cinturão

do som

É solo sagrado,

Onde todos são irmãos,

Não há Aqueles sem face,

E mortais atentos

Às palavras, pois

Com palavras mentimos,

Podemos dizer paz

Quando queremos guerra,

Maus pensamentos bem ditos

E promessas falsamente feitas,

Mas a canção é genuína:

Que a música pela paz

Seja o paradigma,

Pois paz significa mudar

Na hora certa,

Como o Relógio-Mundo

Faz tique e taque.

Que a história

Da nossa cidade humana

Hoja mova-se

Como música, onde

Notas criadas

Novas notas criam

Fazendo do fluxo

Do tempo um crescente

Até o que poderia ser

Por fim seja,

Onde mesmo a tristeza

É uma forma de alegria,

Onde o destino é a liberdade,

Graça e Surpresa.

-W.H. Auden (em tradução)

Music: Pablo Casals Words: W.H. Auden

Cartilha das Nações Unidas

[Buscar] reafirmar a fé nos direitos humanos fundamentais, na dignidade e valor da pessoa humana, nos direitos iguais dos homens e mulheres e nações grandes e pequenas, e estabelecer condições sob as quais a justiça e respeito às obrigações oriundas dos tratados e outras fontes de lei internacional possam ser mantidos, e promover progresso social e melhores padrões de vida em maior liberdade.

-Trecho da Cartilha das Nações Unidas

Sri Chinmoy e as Nações Unidas

Neste mundo, vemos pessoas que apenas fala, outros que fala e então agem, outras que falam e agem ao mesmo tempo, e ainda há outras que apenas agem e deixam que os outros falem por si. Por fim, há um tipo de pessoa que apenas age, por consagração à ação divina. Tal é a categoria suprema. Sem a menor hesitação, digo que as Nações Unidas pertencem a essa categoria. Eu não conheço as realizações exteriores da ONU. Mas, sendo um buscador da Verdade altíssima que reside no mundo interior, que vê e sente e sabe o que as Nações Unidas estão fazendo, sou perfeitamente familiar com as conquistas interiores das Nações Unidas.

-Sri Chinmoy

Mensagens dos Secretários-Gerais das Nações Unidas – Dag Hammarskjold

O nosso trabalho pela paz deve começar no mundo privado de cada um de nós. Para construirmos para os homens um mundo sem medo, devemos der destemidos. Para construir um mundo justo, devemos ser justos. E como poderemos lutar pela liberdade de não formos livres em nossas próprias mentes?

-Dag Hammarskjold, Secretário-Geral da ONU

Mensagens dos Secretários-Gerais das Nações Unidas – U Thant

Tenho certas prioridades quanto às virtudes e valores humanos… eu devo associar uma importância maior às qualidades ou virtudes morais do que às qualidades ou virtudes intelectuais  – qualidades morais como amor, compaixão, compreensão, tolerância, a filosofia de viva e deixe viver, a habilidade de entender o ponto de vista dos outros, que é a chave para todas as religiões…. e acima de tudo, eu colocaria a maior importância aos valores espirituais, às qualidades espirituais.

-U Thant, Secretário-Geral da ONU

Mensagens dos Secretários-Gerais das Nações Unidas – Kurt Waldheim

Não estamos diante de muitos problemas isolados, mas sim diferentes aspectos de um problema abrangente: a sobrevivência e prosperidade de todos os homens e mulheres, com seu desenvolvimento harmonioso, tanto físico quanto espiritual, em paz uns com os outros e com a natureza. É essa a solução que devemos buscar. Está em nosso poder encontrá-la.

-Kurt Waldheim, Secretário-Geral da ONU

Eles não ouviam o meu chamado, E tudo era silêncio. -Dag Hammarskjold, Secretário-Geral da ONU

A lua entremeada nos galhos:

Preso por seu voto,

Meu coração pesava.

Nuas contra a noite

As árvores dormiam. “Contanto,

Seja feita não a minha vontade…”

O fardo continuava meu:

Eles não ouviam o meu chamado,

E tudo era silêncio.

-Dag Hammarskjold, Secretário-Geral da ONU

Phire Chalo, Sourindra Mohan Mukhopadhyay

Phire Chalo

 

Retornemos ao Lar, retornemos,

Inútil esse medir de buscar e obter,

O Deleite Divino permeia o hoje.

 

Luz de lua espalhada por todo o céu,

O vento sopra em todas as direções

Livre de suas amarras-limitações.

 

A melodia do Amor inundou

Os quatro cantos do mundo;

Tristezas e sofrimentos se findaram.

 

Do mar azul da morte,

A vida flui como néctar.

Na vida há morte; na morte há vida.

Onde está a vida, onde está a tristeza?

 

Os pássaros no céu cantam: “Não há morte, não há!”

Dia e noite a maré da Imortalidade

Chega aqui na terra.

-Sourindra Mohan Mukhopadhyay

 

Let us return Home, let us go back.
Useless is this reckoning of seeking and getting,
Divine Delight permeates all of today.

Moonlight has spread all over the sky,
The wind blows in all directions
Freed from its bondage-bounds.

The melody of Love has inundated
The length and breadth of the world;
Sorrows and sufferings have come to an end.

From the blue ocean of death
Life is flowing like nectar.
In life there is death; in death there is life.
So where is fear, where is sorrow?

The birds in the sky are singing “No death, no death!”
Day and night the tide of Immortality
Is descending here on earth.

-Sourindra Mohan Mukhopadhyay 

No mundo, as pessoas tendem a pensar que um ladrão dentro de uma casa é um inimigo fortalecido.-Miyamoto Musashi (O Livro dos Cinco Anéis)

No mundo, as pessoas tendem a pensar que um ladrão dentro de uma casa é um inimigo fortalecido. Entretanto, se pensarmos em nos “tornar o inimigo”, sentiremos que todo mundo está contra nós e que não há escapatória. Aquele que está preso dentro é um faisão. Aquele que entra para prendê-lo é um falcão. Valorize isso.

-Miyamoto Musashi (O Livro dos Cinco Anéis)

s pessoas do mundo se acostumaram a se conter, fugindo e se retirando como uma coisa normal. – Miyamoto Musashi

…As pessoas do mundo se acostumaram a se conter, fugindo e se retirando como uma coisa normal. Elas adotaram esse hábito, então podem ser conduzidas facilmente pelo inimigo. O caminho da estratégia é direto e verdadeiro. Você deve perseguir o inimigo e obrigá-lo a obedecer a seu espírito.

-Miyamoto Musashi (O Livro dos Cinco Anéis)

“Eu mesmo sou um mau instrumentista.” – Joseph Haydn

Joseph Haydn

 

Em qualquer âmbito da vida, aquele que oferece compaixão e encorajamento é certamente uma grande mente e um bom coração.

Conversando com uma criança violinista, Haydn disse: “Você não precisa ficar com medo de mim, meu garoto. Eu mesmo sou um mau instrumentista.”

 

____________________

Comentários de Sri Chinmoy sobre os músicos clássicos extraídos do livro Pensadores-Filósofos do Ocidente, e Música, o Anseio-Coração do Êxtase, editora Agbook

“O deleite deve ser a base e a meta desta arte.” – Rossini

Gioacchino Rossini

 

A luz-sabedoria védica da Índia diz ao mundo que do deleite viemos, no deleite crescemos e, ao fim da nossa jornada, retornaremos ao deleite, a nossa eterna Fonte.

O músico supremo em Rossini possui praticamente a mesma mensagem:

“O deleite deve ser a base e a meta desta arte.”

 

____________________

Comentários de Sri Chinmoy sobre os músicos clássicos extraídos do livro Pensadores-Filósofos do Ocidente, e Música, o Anseio-Coração do Êxtase, editora Agbook

“Não veio de mim – foi das alturas.” – Haydn

Joseph Haydn

 

Haydn, não apenas você oferece compaixão e encorajamento, mas também humildade e sinceridade genuína:

“Os amigos me bajulam dizendo que tenho um gênio para a música, mas ele [Mozart] está muito acima de mim.”

A sua humildade devotada é orgulhosamente abençoada pelas Alturas altíssimas. Numa performance de “A Criação”, você afirma: “Não veio de mim – foi das alturas.”

 

____________________

Comentários de Sri Chinmoy sobre os músicos clássicos extraídos do livro Pensadores-Filósofos do Ocidente, e Música, o Anseio-Coração do Êxtase, editora Agbook

“Eu não gostaria de ser compreendido por todos.” – Robert Schumann

Robert Schumann

 

“Eu não gostaria de ser compreendido por todos.”

– Robert Schumann

 

O filósofo em você

É divinamente grandioso.

O Deus-amante em você

É supremamente bondoso.

 

____________________

Comentários de Sri Chinmoy sobre os músicos clássicos extraídos do livro Pensadores-Filósofos do Ocidente, e Música, o Anseio-Coração do Êxtase, editora Agbook

“Música não é ilusão, mas revelação.” – Peter Ilyich Tchaikovsky

Peter Ilyich Tchaikovsky

 

“Música não é ilusão, mas revelação.”

– Peter Ilyich Tchaikovsky

 

Não é necessário ser um músico da mais alta ordem para enxergar através dos seus olhos. Qualquer homem, sendo um amante da música, sabe e sente que o seu aforismo imortal, proferido pelo músico supremo em você, é absolutamente verdadeiro.

 

____________________

Comentários de Sri Chinmoy sobre os músicos clássicos extraídos do livro Pensadores-Filósofos do Ocidente, e Música, o Anseio-Coração do Êxtase, editora Agbook

“Nada entendo sobre música.” – Richard Wagner

Richard Wagner

 

Não sabemos como e quando e em que consciência Wagner está quando diz: “Nada entendo sobre música.”

Mas numa carta a Liszt ele declara: “O que minhas paixões exijam de mim, torno-me aquela própria coisa – músico, poeta, autor, palestrante ou qualquer outra coisa.”

O que Wagner escreveu é de instrução sublime e inspiração infalível.

 

 

____________________

Comentários de Sri Chinmoy sobre os músicos clássicos extraídos do livro Pensadores-Filósofos do Ocidente, e Música, o Anseio-Coração do Êxtase, editora Agbook