Você é belo – Sri Chinmoy, poemas.

Você é belo, mais belo, belíssimo,

Beleza sem-par no jardim do Éden.

Dia e noite, que Tua Imagem habite

No íntimo do meu coração.

Sem Você, meus olhos não tem visão,

Tudo é uma ilusão, tudo é deserto.

Ao meu redor, dentro e fora,

Ouço a melodia das aflições sombrias.

Meu mundo está repleto de aflições excruciantes.

Ó Senhor, ó meu belo Senhor,

Ó meu senhor de Beleza,

Nesta vida, mesmo por um fugaz segundo,

Que eu seja abençoado com a dádiva

De ver a Tua Face.

~Sri Chinmoy

Levante-se, acorde – Sri Chinmoy, poemas.

Levante-se, acorde, Ó amigo do meu sonho.

Levante-se, acorde, Ó alento da minha vida.

Levante-se, acorde, Ó luz dos meus olhos.

Ó poeta-vidente em mim,

Manifesta-se em e através de mim.

Levante-se, acorde, Ó vasto coração dentro de mim.

Levante-se, acorde, Ó consciência minha,

Que está sempre a transcender o universo

E sua própria vida do além.

Levante-se, acorde, Ó forma da minha meditação transcendental.

Levante-se, acorde, Ó divindade aprisionada na humanidade.

Levante-se, acorde, Ó Shiva, Libertador do meu coração,

E liberte a humanidade do seu sono-ignorância.

~Sri Chinmoy

Ó cega e escura noite do abismo dos nossos corações! – Sri Chinmoy, poemas.

Ó cega e escura noite do abismo dos nossos corações!

Somos os companheiros do córrego das lágrimas.

Na terra do apego aprisionador,

Chorando e sorrindo atiçamos a lamparina

Das selvagens sombras-obstrução.

Nosso mundo é uma esperança vazia, destituído.

Seremos a linguagem-mensagem

Do Tempo Sem Fim

E nos tornaremos Fome infinita,

Deleite-Néctar infinito

E Luz-Transformação da Eternidade.

~Sri Chinmoy

Numa doce e melodiosa canção – Sri Chinmoy, poemas.

Numa doce e melodiosa canção, Você canta

No seio da minha entregue adoração suprema.

Eu A vejo!

E ouço o tilintar dos sinos no Seu tornozelo,

Ó Coroa do Ápice da Infinidade!

A Sua Canção, o Seu Amor,

A Lei imortal da Sua Imortalidade

Carregarão a mim, eu sei, eu sei,

Até as margens do Além Dourado.

~Sri Chinmoy

Você me fortalece-Sri Chinmoy, pormas.

Quando sou ofendido,

Quando sou humilhado,

Você me fortalece com Seu Poder-Compaixão.

Você veio a mim carregando o despertar nas Suas Mãos

Para substituir a minha vida de tristezas.

As lágrimas secretas do meu coração

Criam interminável sofrimento no Seu Coração.

Sei que um dia Você vira até mim.

Portanto, tudo o que tenho é sou

Hoje dança com alegria.

~Sri Chinmoy

As nuvens velejam -Sri Chinmoy, poemas.

As nuvens velejam em direção a um mundo desconhecido,

Enfeitadas com beleza miríade.

Um rosto sorridente as acompanha.

As nuvens velejam em direção a uma terra desconhecida.

Ó céu, conte-me para onde as nuvens viajam.

Pergunto com os olhos cheio de lágrimas.

Ó céu, você fará minha vida tão luminosa

E bela quanto as nuvens?

Ó céu, conte-me para onde as nuvens velejam.

~Sri Chinmoy

Uma guirlanda de poemas – Sri Chinmoy, Poemas.

Uma sequência interminável de céus

Onde ar não há.

Um anseio interior me compele a trazer

Uma guirlanda de poemas

Para adorá-Lo

O altar está vazio.

Quero preenchê-lo;

Quero cobri-lo de poema,

Uma guirlanda de poemas.

Sei que é apenas assim

Que posso esquecer dos sofrimentos e alegrias

Que devem ser esquecidos.

~Sri Chinmoy

Assassinei a sua ignorância -Sri Chinmoy, Poemas.

Quando pensei que eu era o agente

De todas as minhas ações,

Tornei-me névoa.

Morri.

Virei o imperador do grandioso fracasso.

Minha alma veio à tona,

Consolou minha cega ignorância.

Deus causou a Sua Aparição suprema.

“Seu tolo, não noive a beleza sem vida da impossibilidade.

Eu não desperdiço sequer uma folha.

Assassinei a sua selvagem ignorância para você,

Para igualar-se ao Meu Trono Transcendental.”

-Sri Chinmoy

O meu diário -Sri Chinmoy, Poemas.

Nas primeiras horas da aurora,

Nas tardias horas da noite,

Eu escrevo o meu diário.

O meu diário só abriga uma palavra:

Gratidão.

Gratidão à compaixão de Deus,

Gratidão ao serviço do homem,

Gratidão à busca pela minha auto-transcendência,

Gratidão ao meu auto-questionamento,

Gratidão à minha descoberta-Deus.

-Sri Chinmoy

Eu canto porque Você canta -Sri Chinmoy, Poemas.

Eu canto porque Você canta.

Eu sorrio porque Você sorri.

Porque Você toca a flauta,

Eu me tornei a Sua flauta.

Nas profundezas do meu coração Você toca:

Você é meu, eu sou Seu:

Essa é a minha única identidade.

Em uma só Forma

Você é minha Mãe e Pai eternos,

E Consciência-lua, Consciência-sol,

Tudo-permeante.

-Sri Chinmoy

Ó belo sol que brilha no Oriente -Sri Chinmoy, Poemas.

Ó belo sol que brilha no Oriente,

Ó beleza-vida do Céu,

Ó vida-silêncio e vida-som,

Eu canto constantemente a sua vitória-canção

Com a solenidade do meu coração.

A beleza do Paraíso

E a Luz do Céu

Adoram o Seu Olho.

Por vezes e mais vezes o coração do mundo

Admira Você e o Seu Sorriso-Alma.

-Sri Chinmoy

Poesia -Sri Chinmoy, mensagens

“Eu sempre digo que o homem escreve prosa, mas é Deus quem escreve poesia – em e através do homem. Na poesia, cada palavra nos leva ao Incognoscível, onde há uma tremenda alegria. Podemos pensar que, quando entramos no Incognoscível, ficaremos completamente perdidos. Mas não nos perdemos, nós voamos. A poesia é intuitiva, e por esse motivo não devemos tentar compreendê-la. Não precisamos da mente para sentir alegria. Precisamos do coração.”

-Sri Chinmoy