Nas profundezas do meu coração o pássaro azul sorri -Sri Chinmoy, Poemas.

Nas profundezas do meu coração o pássaro azul sorri e o pássaro azul brinca.

O festival de forma-resplandecente-luz e deleite celestial convida a todos.

O sol, a lua, as montanhas e o oceano — todos vieram.

Hoje atenderemos ao chamado da Infinidade.

Correremos em direção à Infinidade.

Bem diante de nós está a escadaria de Luz.

Nossos corações tornaram-se a flor de Divina Luz.

Somos a esperança do nosso Senhor Supremo.

O criador-mundo não é ninguém senão o nosso amor.

-Sri Chinmoy.

Eu me curvo a Você, Ó Avatar da era -Sri Chinmoy, Poemas.

Eu me curvo a Você, Ó Avatar da era!

Você me concederá o direito de adorá-Ló,

Tocando Seus Pés-Lótus vermelhos?

Ó poeta-Vidente, Ó amor encarnado!

De centenas de formas chamarei por Você,

De centenas de formas descreverei Você,

E curvar-me-ei a Você incontáveis vezes.

Ó mãos que acenam com a libertação da humanidade,

Ofereçam a Sua chuva-Néctar

E levem a desgraça escura da morte.

Eu me curvo a Você, Ó Avatar da era!

-Sri Chinmoy.

Mãe quem colocou flores a Seus Pés? -Sri Chinmoy, Poemas.

Mãe quem colocou flores a Seus Pés?

Quem acendeu a lâmpada da noite diante de Você?

Ao fim da adoração, sobre quem

Você colocará a Sua marca-bênção?

Quem será o adorador a ser abençoado

Por cantar a Sua Canção-Vitória?

Quem Você iniciará em segredo-silêncio hoje?

Quem é o Seu Amado, tão puro e silencioso?

Será que ele, assim como Brahma, Vishnu e Shiva,

Desceu à Terra?

-Sri Chinmoy.