Um Sonho | William Blake

Era uma vez um sonho que teceu

Uma sombra no meu leito anjo-protegido,

Tal que uma formiga se perdeu

Onde na grama eu me pensava caído.

 

Preocupado, perdido e esquecido,

Sombrio, fatigado e da viagem cansado,

Por arbustos emaranhados, entristecido,

Ouvi ela então em seu ditado:

 

‘Ó, minhas crianças! elas choram?

Elas ouvem seu pai suspirar?

Primeiro enxergar lá fora buscam;

Depois voltam por mim a chorar.’

 

Escapou-me uma lágrima, de tão penoso,

Mas vi o vagalume adiante,

Que respondeu: ‘Que fantasma choroso

Chama o vigia da noite?

 

-William Blake