Às margens do azul Jamuna -Sri Chinmoy, Poemas.

Às margens do azul Jamuna

Muitas vezes eu vi

A forma transcendental do meu coração.

Às margens do azul Jamuna

Em sono, em sono e em vigília

Eu brinquei com Krishna.

Às margens do azul Jamuna

Juntos abrimos a porta do Paraíso

Para a libertação do mundo,

Às margens do azul Jamuna.

-Sri Chinmoy.