21 de fevereiro: O Dever Divino – meditação matinal diária

palavra-do-dia-our-differences-dissappear-the-moment

Discernindo, separando o verdadeiro e eterno do falso e do transitório, chego a um ponto onde consigo ver a minha Meta. Coloco então os pés ao caminho que conduz à minha Meta.

 

No nosso dia-a-dia, se quisermos enfatizar os nossos deveres, não haverá fim para essas obrigações comuns. Devemos comer, encontrar os nossos amigos, ver a nossa família, trabalhar. Temos todos os tipos de obrigações. Porém, precisamos saber que acima dessas obrigações há o nosso verdadeiro dever. Satisfazemos diariamente essas obrigações mundanas, mas elas não nos levarão, de maneira alguma, mais perto da nossa Meta. Existe somente uma Meta para cada ser humano e essa Meta é a Deus-realização. Isso não significa que para realizar Deus devemos descartar a humanidade. Longe disso. Não temos de nos livrar dos membros da família: esposa, irmãs, irmãos, pais, filhos. Não. Nós devemos ver neles a existência de Deus. Esse é um dos maiores deveres de cada ser humano: ver a existência de Deus nos filhos, nos amigos, em todos na Terra.

 

Eu sei que você é uma pessoa ocupada.

Ao menos a sua mente o faz pensar assim.

No entanto, será que não pode encontrar um tempo

Para convidar Deus, seu Convidado Supremo,

A abençoá-lo – seu coração e a sua vida –

Com a Sua toda-iluminadora e toda-preenchedora Presença?

 

Do livro de Sri Chinmoy, A Jornada Alma da Minha Vida – Meditações diárias para inspirar as suas manhãs em todos os dias do ano.