Poema de morte de Dag Hammarskjold?

Escrito aproximadamente um ano antes do seu assassinato no Congo Belga, a serviço da ONU, provavelmente profético.

 

A lua presa dentre os galhos,

Preso por seu voto,

Meu coração pesava.

 

Nuas contra a noite,

As árvores dormiam. “Mas, seja feita a

Vossa Vontade e não a minha…”

 

O fardo continuava meu:

Não se podia ouvir o meu chamado

E tudo era silêncio.

 

Logo, agora, as tochas, o beijo:

Logo a aurora cinzenta

Na Sala do Julgamento.

 

O que seu amor ajudará lá?

Lá, a única questão

É se eu os amo.

 

-Dag Hammarskjold

26/11/1960

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.