Mas neste mundo, Jahan, são muitos… os rouxinóis. – Jahan Poetisa Sufi

Alguém apaixonado por mim pegou minha mão ontem à noite,

Mas eu disse: “Esqueça-me, por favor, afaste-me da sua visão!”

E ele: “O que foi, é porque tomei a sua mão?”

Eu respondi: “Aquele a quem amo não está aqui nesta noite.”

Continuei: “Eu juro… enquanto viver, amarei Ele:

Se Ele destruir minha vida, direi que é um direito Dele!”

Então sussurrei: “Juro que nunca, nunca desistirei…

nunca desistirei… até que Ele seja gracioso comigo numa noite!”

Perguntaram-me: “Você realmente quer ser fiel a Ele?”

Eu disse: “Serei fiel, até que esteja sempre diante Dele!

Venha, cure o anseio do coração doente, pois por amá-Lo,

Se eu tentar fazer qualquer coisa, aquilo será um sofrimento terrível!

Por Você estou pronta a sacrificar a vida se me for pedido…

Você não demonstra bondade… exigindo o direito subitamente!

Certamente, o cipreste é uma árvore forte e uma árvore alta,

Mas não se esqueça das outras árvores mais altas que sua grande altura!

Uma coisa eu sei… estou apaixonada por Você:

Perdi o meu coração, Você o rouba de mim como se fosse Seu direito.

No tabuleiro de xadrez da vida o Seu rei me falhou,

E nunca um peão como eu superaria um cavalo.

Rouxinóis não podem empoleirar-se no Seu belo rosto como nas roseiras…

Mas neste mundo, Jahan, são muitos… os rouxinóis.

 

– Jahan

Poetisa Sufi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.