Poemas do amor de Radha por Krishna

 

Poemas escritos como na pessoa de Radha conversando com Krishna. Original de Leena Saldanha, do livro Radha, em tradução ao português.

 

*

 

Passei minha vida

inteira

olhando para você,

mas era só eu

falando comigo mesma

 

Você está na minha cabeça,

no meu coração,

na minha alma,

Krishna.

 

 

*

 

Naquele momento

quando não conseguíamos mais

enxergar

um ao outro

 

Naquele momento

do horizonte

vazio

 

Aquele foi o

momento

da mágica

 

Nunca mais

nos vimos

e ainda assim

nunca estivemos

separados

 

nunca mais

 

Aquele momento

de horizonte vazio

foi quando o

“e”

desapareceu.

 

Daquele momento em diante

deixamos de ser

Radha

e

Krishna

 

Somos

RadhaKrishna

 

Dizem que ligas metálicas

se fazem nas fornalhas

 

 

 

*

 

Segurar

exige força

 

Deixar ir

exige poder

 

Devo ter sido

a mais

poderosa

mulher

na história,

Krishna…

 

 

*

 

Há alguns

que bradam

irritados

 

Radha

nunca existiu

 

Ela foi apenas um figmento

da alguma tola

imaginação romântica.

 

Fico imaginando o que os deixa tão irritados

 

Se é a ideia de que

um amor como

o nosso

não é possível,

Krishna

 

ou

 

Se é a ideia mais real

de que é.

 

 

*

 

Em alguns dias eu visto

roupas de trabalho

em outros eu visto

roupas que funcionam

 

Não que você

perceberia,

Krishna.

 

Você me chamou de

bela

Quando eu parecia a superfície esburacada

da lua

E me ignorou

quando eu brilhava

como

a lua.

 

Moda é inútil

quando o seu

namorado

é Deus.

 

Radha

 

*

 

Fico imaginando

como

eles conseguem,

Krishna.

 

Centenas de milhares

de pessoas

por nem lembro quantas

vidas

todas tropeçando

com a visão borrada

buscando

sentido na vida.

 

O que é essa

mágica maldosa

que você perpetua,

Krishna?

 

Eles colocam-se

na plenitude

do ser

e ainda assim

o significado

foge das suas almas

dispersas.

 

Você me imergiu

no arcano

Fez-me tropeçar pelo

mundano

Abençoou-me com o

ridículo

E torturou-me com o

tolo.

 

Mas você nunca,

nunca,

Tirou o meu

sentido da minha vida,

Krishna.

 

Por isso

sou e serei

sempre Sua.

 

 

*

 

Minhas melhores canções

para você,

Krishna,

são aquelas

para as quais

nunca encontrei

as palavras.

 

 

*

 

A menininha

brincava

no seu mundo

de

faz de conta.

 

Havia uma bela

montanha

e um rio que dançava

e cascalho

suave

e redondo

nas cores do

arco-íris.

 

Ela sentou-se com

seus pés imersos

na água

refrescante

do rio

rápido fluente

entoando uma canção feliz

olhando para o alto

para um ceu

azul, muito azul,

com seus olhos

negros, muito negros

 

Enquanto estava sentada

dentro do seu casebre

rodeada

da catinga

de seu pai

completamente embriagado

na perfumada

miséria

de uma tenda de lona

minúscula

A menininha

sentia a água

fresca

nos seus pés encardidos.

 

Foi assim que ela

conseguiu

que ela sobreviveu.

 

Porque você deu a ela

O dom

de

faz de

conta,

Krishna.

 

*

 

Toque uma suave melodia

nesta noite,

Krishna.

 

Que a sua flauta

Acalente a minha alma.

 

Larguei minhas armas

tirei a armadura

Mas a batalha recomeçará

Na luz do dia.

 

Mas a luta já saiu do hoje

a luz saiu do hoje

 

Toque uma

doce

melodia,

Krishna.

Minha alma está cansada

E o amanhã está a apenas

uma noite de distância.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.