Três poemas traduzidos de Rabindranath Tagore

*

Que reste de mim apenas o pouco que me faça chamar-Te meu todo.

Que reste da minha vontate apenas o pouco que me faça sentir-Te em todos os lados, e buscar a Ti em tudo, e oferecer-me a Ti o meu amor a todo momento.

Que reste de mim apenas o pouco que me faça nunca esconder-Te.

Que reste das minhas amarras apenas o pouco que me faça atado à Tua vontade, que o Teu propósito se cumpra na minha vida – tais são as amarras do Teu amor.

*

Onde a mente não teme e a cabeça se ergue;

Onde o conhecimento é livre;

Onde o mundo não foi partido em pedaços por finas paredes domésticas;

Onde as palavras vêm do cerne da verdade;

Onde a busca incansável estende seus braços em direção à perfeição;

Onde o fio da razão não se perdeu no árido deserto dos hábitos mortos;

Onde a mente é conduzida adiante por Ti em ação e pensamentos sempre vastificantes –

Nesse céu de liberdade, meu Pai, que a minha pátria desperte.

*

Tal é a minha oração a Ti, meu senhor – avance, avance à raíz da tristeza no meu coração.

Conceda-me a força para suportar com leveza minhas alegrias e tristezas.

Conceda-me a força para tornar meu amor frutificado em serviço.

Conceda-me a força para nunca abusar dos pobres ou ceder ao poder insolente.

Conceda-me a força para alçar minha mente muito além das frivolidades do dia a dia.

E conceda-me a força para render com amor a minha força à Tua vontade.

*

  • Rabindranath Tagore

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.