20 de junho: O Amor Humano e o Amor Divino – meditação diária matinal

daily-aphorism-by-sri-chinmoy-0075

O único modo efetivo de se amar a humanidade é primeiro amar a Deus incansavelmente.

 

O final de todo o ensinamento interior é o amor; amor divino, não amor humano. O amor humano prende; o resultado é frustração. E, no final da frustração, surge a destruição. Mas o amor divino é expansão, crescimento, o sentimento de verdadeira unicidade. Assim, se amamos alguém, devemos saber que o amamos, precisamente, porque no seu interior está Deus. Não é por alguém ser meu pai, minha mãe, irmão ou irmã que eu o amo. Não. Eu amo-o, apenas, porque dentro dele sinto e vejo a presença viva de meu querido Bem-Amado.

 

Porque temo a Deus,

Não devo temer nenhum homem.

Porque amo a Deus,

Devo amar todos os seres humanos.

 

Do livro de Sri Chinmoy, A Jornada Alma da Minha Vida – Meditações diárias para inspirar as suas manhãs em todos os dias do ano.

Meditação guiada diária: novidade

por Sri Chinmoy

Meditação guiada extraída do livro 222 Técnicas de Meditação, de Sri Chinmoy.

Veja mais meditações guiadas diárias.

Novidade

 

O sol nascente | Todaas as manhãs medite no sol. Embora seja o mesmo sol que esteja nascendo, todos os dias poderemos ver uma nova beleza dentro dele. Nossa mente estará nos dizendo que é o mesmo sol que vimos ontem e anteontem. Mas quando o coração ver esse mesmo sol, haverá uma enorme alegria, emoção e êxtase.

Temos que ver e sentir tudo com o coração, não com a mente. A mente nos dirá: “Eu já vi o sol; eu o tenho visto por muitos anos. Não há nada de novo nisso.” Mas quando o coração vê o mesmo sol, ele vê alguma coisa nova, com uma sensação comovente. Essa sensação eletrizante cria algo novo, e essa novidade cria uma coisa especial.

Para o coração, todo dia é novo, como o sol. Quando o sol nasce, a mente nem se interessa em olhar, porque sente que é a mesma velha coisa. Esteja o sol surgindo da água ou das nuvens, a mente não liga.

Mas o coração está esperando pelo sol. O coração diz: “Quando ele virá? Quando? Quando?” A avidez do coração sempre vê novidade em tudo. Se usarmos o coração, tudo será novo. Todo dia, mesmo que estejamos fazendo e vendo a mesma coisa exteriormente, o coração constantemente está sentindo uma nova alegria, uma nova alegria, uma nova alegria.

 

Uma criança entrando num jardim | Sinta que você é uma criança entrando num jardim. Quando um adulto entra todo dia num jardim, ele vê as flores e diz: “Elas são todas iguais ao que eram ontem.” Uma criança de quatro ou cinco anos vê as mesmas flores que o adulto, mas tem um tipo de experiência totalmente diferente, que é só alegria. Quando o coração dela vê uma flor, isso é algo novo. Nós vemos os mesmos tipos de flores por tantos dias e, uma vez vistas, já basta. No segundo dia elas são todas velhas para nós. Mas toda vez que a criança vê o jardim, tudo é novo para ela.

 

Você tem sete anos de idade | Se puder sentir sinceramente que é uma menina ou menino de sete anos, muito do veneno que está dentro da sua mente irá desaparecer, e facilmente você será capaz de escapar da sua selva-mente. Tanto entusiasmo e alegria entrarão em sua vida! Todo dia você a verá de uma nova maneira e suas doces qualidades, as mais doces, dulcíssimas, será capaz de evidenciar mais uma vez. Nesse momento irá florescer como uma flor, pétala por pétala. Para uma criança de sete anos, a dúvida, depressão, frustração e negatividade não existem. A criança está simplesmente pulando de alegria, brincando e jogando no seu jardim-coração.

19 de junho: O Amor à Humanidade – meditação matinal diária

daily-aphorism-by-sri-chinmoy-0076

Quando reparar que os defeitos e as más qualidades de alguém são óbvios, tente imediatamente sentir que os seus defeitos e más qualidades não o representam totalmente. A sua verdadeira existência é infinitamente melhor do que aquilo que vê agora.

 

Se a humanidade tivesse de se tornar perfeita antes que pudesse ser aceita por você, não mais necessitaria do seu amor, afeição e cuidado. Mas, neste exato momento, no seu estado imperfeito de consciência, a humanidade precisa da sua ajuda. Dê à humanidade, sem reservas, a mais insignificante e limitada ajuda que tem à disposição. Esta é a oportunidade dourada. Se perder esta oportunidade, o seu sofrimento futuro será além da sua capacidade de suportar, pois virá um dia em que perceberá que a imperfeição humana é a sua própria imperfeição. Você é criação de Deus e a humanidade também o é. A humanidade é somente uma expressão do seu próprio coração universal. Você poderá e deverá amar a humanidade, não apenas como um todo, mas também individualmente, se compreender o fato de que, a não ser que a humanidade atinja a Meta suprema, a sua própria perfeição divina não será completa.

 

O seu dia-a-dia é povoado de buscadores e não buscadores,

 Deus-adeptos e Deus-incrédulos.

O seu olho de cuidado abriga-os e o seu coração de amor

Ensina-os.

 

Do livro de Sri Chinmoy, A Jornada Alma da Minha Vida – Meditações diárias para inspirar as suas manhãs em todos os dias do ano.

Meditação guiada diária: amor

por Sri Chinmoy

Meditação guiada extraída do livro 222 Técnicas de Meditação, de Sri Chinmoy.

Veja mais meditações guiadas diárias.

 

 

Amor

 

Inspire um rio de amor | Quando estiver inspirando, sinta uma corrente de amor divino fluindo em e através do seu corpo. Você se ama, ama a Deus, ama os seus entes queridos e ama a humanidade como um todo. Então primeiro, por favor, tente colocar à frente o aspecto amor de Deus. O amor é o pioneiro de todas as qualidades divinas. Assim, quando clamar por Deus, sinta amor –imediato, espontâneo, sem reservas e repleto de alma amor.

 

Repita ‘amor’ em todo o seu corpo | Todos os dias, ao meditar, diga a palavra ‘amor’ antes de começar a sua meditação. Quando pronunciar a palavra ‘amor’, tente sentir que seus braços, pernas, olhos e todas as suas partes aumentaram em capacidade. Quando disser a palavra ‘amor’, sinta que seus braços se tornaram mais fortes, não para bater em ninguém, mas para trabalhar pela humanidade. Então concentre-se nos seus olhos e tente sentir que você os está usando apenas para ver boas coisas nos outros. Quando se concentrar nas orelhas, sinta que quer ouvir apenas boas coisas, encorajadoras e inspiradoras. Cada vez que disser a palavra ‘amor’, concentre-se em um dos seus órgãos. Depois disso, tente se concentrar na sua consciência interior. Tente expandi-la.

 

Torne-se a flor perfumada | Sinta que entrou num jardim com muitas, muitas flores. Escolha uma flor de que goste e aproxime-se dela. Aprecie a sua beleza e sinta a sua fragrância. Então diga algumas vezes: “Como eu gostaria de ser tão puro e belo como essa flor.” Após cinco minutos, tente imaginar que uma quantidade infinitesimal da beleza da flor entrou em você. Então, gradualmente, tente sentir que todas as boas qualidades que está vendo na flor – sua beleza, pureza, fragrância e outras mais – vieram e estão agora dentro de você.

Agora lembre-se o quanto amou aquela flor e quanta alegria ela lhe deu. De início, ela tinha uma existência separada. Mas, aos poucos, você trouxe a beleza e a realidade dela para dentro do seu próprio corpo e do seu próprio coração. Após isso, tente sentir que você não tem um corpo, não tem uma mente, não tem nada. Pense em si mesmo apenas como aquela mais linda flor. Porque você se tornou ela, é capaz de apreciar e amar a si da maneira que amou a flor.

 

Sinta que Deus o ama mais | Uma vez que comece a amar a si próprio, você tem que sentir que Deus o ama infinitamente mais. Se estiver sofrendo de um mal físico ou qualquer outra coisa, poderá sentir que ninguém está presente para amá-lo ou se solidarizar com você. Mas há Alguém. Essa Pessoa está dentro de você – se estiver sofrendo, tem que saber que Ele está sofrendo infinitamente mais. Se estiver feliz, então Ele está infinitamente mais feliz.

Tente cultivar o sentimento de que o Supremo, que é a sua parte mais elevada, está sempre sentindo o que você está sentindo, apenas infinitamente mais. Portanto, se amar a si mesmo, Ele o amará infinitamente mais.